sábado, 6 de setembro de 2014

Posição Oficial da Igreja Adventista Sobre o Serviço Militar

No mês de agosto de 2014 saiu uma matéria muito boa sobre a posição oficial da igreja Adventista do Sétimo Dia sobre servir o exército em tempo de paz e guerra que eu posto hoje no blog. Espero ajudar muitos adventistas a entenderem melhor esse assunto tão distorcido pelos reformistas para se estabelecerem como povo de Deus. 

Nessa matéria todos poderão ver a verdade sobre o tema e que a igreja adventista nunca abandonou sua posição original como acusam os inimigos.

A Batalha: Devem os Adventistas Servir às Forças Armadas?
Por Ted N. C. Wilson

A questão do serviço militar surgiu cedo na história da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Oficialmente organizada em 1863, no auge da Guerra Civil Americana, a nova denominação precisou lidar com a maneira como seus membros responderiam a convocação para a guerra. 

Da mesma forma como em outras questões difíceis, os lideres pioneiros estudaram o assunto usando a Bíblia como guia e concluíram que a posição consistente com os princípios bíblicos era a de não combatente (por questão de consciência, objeção ao porte de armas). A razão principal para essa posição era que os adventistas, servindo as forças armadas americanas, poderiam ser forçados a transgredir sua lealdade a Deus caso obedecessem aos comandantes de suas companhias. Dois mandamentos bíblicos estavam diretamente relacionados a questão: o quarto, sobre a guarda do sábado, e o sexto, “não mararás".

A Posição de não Combatente
Por um tempo, as congregações adventistas ajudaram seus rapazes a evitar o serviço militar, pagando a taxa de comutação de 300 dólares. Mas em 1864, a jovem igreja apelou com sucesso para o governo federal dos Estados Unidos para uma designação oficial de não combatente. Essa posição, atualizada ao longo dos anos, declara que o “serviço não combatente” significa:

a. “Serviço em qualquer unidade das forças armadas que seja desarmada em todos os momentos";

b. “Serviço no departamento médico em qualquer setor das forças armadas";

c. “Qualquer outra atribuição da função primordial que não requeira o uso de armas em combate, desde que a outra atribuição seja aceitável para o individuo em causa e não requeira o porte de armas ou que seja treinado a usa-las".¹

Ao tomar uma posição oficial de não combatente, a igreja abriu o caminho para que seus membros convocados para o serviço militar, servissem em funções em que pudessem levar cura e restauração. Desde esse tempo, milhares de homens e mulheres adventistas tem 
servido nas forças armadas de seu país como padioleiros, médicos, enfermeiros e outros profissionais da área da saúde. Muitos outros conseguiram ocupar cargos no serviço civil em lugar do serviço militar compulsório.

Serviço Compulsório
No entanto, a opção de não combatente não existe em alguns países e os adventistas têm a obrigação de prestar o serviço militar de seu país. Mesmo assim, esses jovens adventistas têm buscado maneiras de ser fiéis a Deus enquanto servem sua pátria.

Durante a II Guerra Mundial, Franz Hasel. um fiel adventista da Alemanha, foi convocado para o exército alemão. Sofrendo todos os tipos de provocações e abusos de seus colegas soldados e comandantes devido a sua fidelidade a Deus, Franz passou a ser respeitado pela excelente pontaria durante o treinamento. Porém, quando foi enviado para as linhas de frente, Franz tirou sua pistola do coldre e secretamente a jogou em um lago, substituindo-a por uma pistola de madeira. Dos 1.200 soldados de sua unidade, apenas sete sobreviveram ao exército russo. Franz foi um deles.²

No teatro do Pacífico, Sigeharu Suzuki, de 16 anos de idade, foi convocado pela marinha japonesa e designado para a infame unidade dos Kamikazes. Todas as noites, enquanto seus amigos pilotos militares saiam para beber, Sigeharu ficava para engraxar as botas dos colegas. Por quê? Porque sua avó adventista o havia ensinado a, sempre que possível, fazer algo bom.

Vinte anos após a guerra, durante uma reunião de sobreviventes da unidade Kamikaze, Sigeharu soube que o fato de engraxar as botas havia salvado sua vida. “Todas as noites eu via você engraxando as botas de seus amigos soldados disse-lhe o comandante aposentado da Companhia, “e sempre que seu nome aparecia nos registros de voo, eu o trocava para o fim da lista".

Serviço Militar Voluntário
Em tempos mais recentes, o serviço militar voluntário, em lugar do compulsório, tem sido cada vez mais a opção de muitos países. Como incentivos para servir, os governos oferecem muitos benefícios como bolsa de estudos, cursos profissionalizantes, bônus financeiros e muito mais. Além desses benefícios, algumas pessoas têm o desejo de servir seu pais como uma expressão de patriotismo ou de seus ideais políticos.

A pergunta é: Como nós, adventistas e como igreja mundial, devemos nos posicionar em relação ao serviço militar voluntario?

Gary Councell, diretor do Ministério Adventista de Capelania, aborda a questão em seu livro, Seventh-day Adventists in Military Service (Adventistas do Sétimo Dia no Serviço Militar): "Embora a Igreja Adventista do Sétimo Dia defenda a posição de não combate, o pacifismo, o serviço militar, ou a posição de não combatente não são testes para os membros da igreja. A denominação não age como a consciência de qualquer membro ou comandante militar, mas procurará informar a consciência e o comportamento de ambos, a fim de que as decisões possam ser tomadas com máxima reflexão e compreensão".³

Assim, enquanto a posição oficial da igreja é a de não combate - por questão de consciência, objeção ao porte de armas - a decisão de prestar ou não 0 serviço militar e portar armas é deixado a critério da consciência de cada indivíduo. No entanto, a igreja não incentiva ninguém a ingressar no serviço militar por razões que incluem o conceito bíblico do não combate, da dificuldade para observar 0 sábado e outros desafios independentemente da decisão individual de cada um, a igreja tem 0 compromisso de prestar assistência pastoral e apoio a todos os seus membros, inclusive aos que estão no serviço militar e respectivas famílias.

Posição Reafirmada
A posição oficial de não combate da igreja foi reafirmada na década de 1950, e mais uma vez no Concilio Anual da Associação Geral de 1972.

Uma parte do documento diz 0 seguinte:

“O cristianismo genuíno é manifestado pela boa cidadania e lealdade ao governo civil. A declaração de guerra entre os homens não altera em nada a fidelidade e responsabilidade suprema do cristão para com Deus nem modifica a sua obrigação de praticar suas crenças e colocar Deus em primeiro lugar.

“Essa parceria com Deus, por meio de Jesus Cristo que veio a este mundo não para destruir a vida dos homens, mas para salva-los, faz com que os adventistas do sétimo dia defendam  a posição de não combate[...] .”
4

O Heroísmo de um Opositor por Questão de Consciência
Provavelmente 0 soldado adventista não combatente mais conhecido foi Desmond Doss, que serviu como enfermeiro padioleiro no Exército dos Estados Unidos durante a II Guerra Mundial. O Cabo Doss, cuja história heroica foi contada em um filme de 2004, “The
Conscientious Objector" (O Objetor de Consciência), é muito conhecido pelo fato de salvar a vida de 75 de seus colegas soldados durante uma batalha feroz, na ilha de Okinawa. Sob constante fogo inimigo, Doss recusou procurar abrigo. Pelo contrário, carregou os soldados feridos, um a um, colocando cada um deles em uma maca amarrada com corda, que ele mesmo tinha inventado, Cada homem ferido foi conduzido para um local seguro, quase onze metros abaixo do local em que estava acontecendo a batalha.

Esse ato de coragem conferiu a Desmond Doss a mais alta honra que seu pais podia conceder - a U.S. Congressional Medal of Honor. Ele foi o primeiro e um dos três únicos objetores de consciência a receber essa honra.

Testemunha da Paz
Os adventistas do sétimo dia tem mantido seu testemunho histórico em favor da paz e do não combate pelos 151 anos de existência da igreja. Essa posição nunca foi escondida: da maneira mais pública possível, os líderes da igreja tem solicitado periodicamente aos líderes do mundo que evitem os conflitos e procurem o Príncipe da Paz. Observe a carta aberta, publicada três anos após o fim da I Guerra Mundial, na capa interna da Advent Review and Sabbath Herald
(Revista Adventista e Arauto do Sábado), a revista oficial da igreja. A Carta foi assinada pelo presidente, secretário e tesoureiro da Associação Geral:

"Como adventistas do sétimo dia, em acordo com outros grupos religiosos, defendemos sobremaneira a limitação de armamentos e, se fosse possível no presente estado da sociedade, defenderíamos a abolição de todas as guerras entre as nações dos homens. Somos forçados a essa posição pela própria lógica de nossa crença nAquele que é o Príncipe da Paz, e de nossa experiência como súditos de Seu reino".5

Pessoas de Oração
Como adventistas do sétimo dia, necessitamos ser um povo de oração. Enquanto o mundo esta envolvido em batalhas que podem ser vistas, todos os dias acontecem muitas batalhas reais do grande conflito, porém invisíveis. Satanás e seus anjos estão guerreando contra cada um de nós, lutando para, finalmente, declarar que este mundo lhes pertence. As profecias de Daniel e Apocalipse nos dizem que estamos vivendo no fim dos tempos. Jesus está chegando!

Precisamos orar por nosso país, onde quer que estejamos no mundo, e pelos líderes de nosso país, para que tomem decisões sábias e defendam a liberdade religiosa e de consciência. Precisamos orar uns pelos outros e por aqueles que se encontram em situações muito difíceis em todo mundo. Mas, acima de tudo, precisamos orar pela paz - a paz que somente Jesus pode oferecer agora e no Seu reino vindouro, onde não haverá mais guerras.

“E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram” (Ap. 21:4, ARA).

É hora de nos levantarmos e proclamar a Cristo, o Príncipe da Paz, nosso Rei que está voltando.


1 Da posição oficial da lgreja Adventista do Sétimo Dia sobre o não combate, http://www-adventistchaplains-org.gcnetadventist.org/noncombatancy
2 Veja Mil Cairão ao Teu Lado, por Susi Hasel Mundy e Maylan Schurch, Casa Publicadora Brasileira, 2003.
3 Seventh-day Adventists and Military Service, por Gary R. Councell, Adventist Chaplaincy Ministries, 2011, p. 30, 31.
4 Posição oficial sobre o não combate, 
http://www-adventistchaplains-org.gcnetadventist.org/noncombatancy
5 ("Adress to President Harding," Advent Review and Sabbath Herald, 8 de dezembro de 1921, p. 2).

Fonte: Matéria retirada da revista Adventist World, agosto de 2014, páginas 8 a 10.


Imagens da revista Adventist World






11 comentários :

  1. Ora, quem ler matéria acima e conhece verdadeiramente a história e possui documentos antigos e históricos da IASD percebe que o artigo em tela é um subterfúgio para cobrir ou esconder a realidade passada, digo, o escândalo passado. Demais, quem ler esse pobre artigo (raquítico por carência de fatos históricos integrais) nota que apenas e somente foram citados casos isolados, individuais de alguns membros fieis a seus princípios; mas que ocultou a posição oficial apóstata de que a maioria (98%) ratificou oficialmente a posição de SIM combatente durante a II Guerra Mundial. Outrossim, a matéria adventista, hipócrita e simulada, para ganhar adeptos ignorantes da verdadeira historicidade e dos relatos proféticos, se posiciona agora (neste século) como não combatente. Veja, não nos faz lembrar da igreja Católica Romana que afirma ser pacífica e que agora não persegue e nem tortura mais cristãos pela chamada inquisição? E considero a igreja Católica mais santa do que a igreja Adventista do Sétimo Dia; porque, depois de alguns séculos, a Igreja Católica fez “mea culpa” de seus erros, cabendo essa missão ao papa João Paulo II. A igreja Adventista do Sétimo Dia e a cúpula da AG (Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia), presunçosamente, além de não confessar, nega o pecado registrado em documentos oficiais e abonado pelos anjos nos registros do Santuário celestial.
    A balança do santuário pende para sua condenação. (É o que se conclui, ante as ações que ela mesma produziu e produz ainda hoje).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberto Felipe, pelo visto você só acredita nos documentos da santa reforma, não é?! Eu tenho os documentos que você tem e muito mais, e ainda provo para para você que não foi 98% da igreja adventista, mas apenas alguns membros e líderes da Alemanha. E quanto a igreja ser mais santa porque confessou meia culpa e a igreja adventista não, você se encontra equivocado e não deve ter lido o protocolo de Friedensau onde os próprios líderes que apoiaram a guerra e disseram para os membros irem combater a favor da Alemanha pedem perdão. A igreja adventista nunca negou os fatos e nunca mudou sua posição de não combatente. A verdade é que a igreja da reforma e seus "2%" de membros naquele tempo queriam que a igreja punisse os membros que pegaram em armas com exclusão e que mudasse sua antiga posição de livre consciência quanto essa questão. A reforma quer legislar sobre a consciência das pessoas e isso a igreja não faz, nunca fez e nunca fará.

      Se quiser ler o protocolo, pode baixar clicando nesse link:
      http://www.asd-mr.org.br/download_arquivo.php?form_id_arquivo=42/
      http://www.asd-mr.org.br/download_arquivo.php?form_id_arquivo=42

      Excluir
    2. Apoio da IASD a Hitler Durante a 2ª Guerra Mundial
      "Nunca devemos esperar que nos países deste mundo sejam realizados os princípios do reino de Deus. Eles têm suas próprias legislações, segundo a vontade de Deus. Se não fosse assim, a Escritura Sagrada não poderia falar das mesmas como sendo ordenadas por Deus. Por isso é que nos sujeitamos, não só voluntariamente, mas de bom grado, a cada serviço exigido de nós. Quem neste (serviço) perder sua vida bem poderá gloriar-se com as seguintes palavras: 'Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém sua vida pelos amigos'. (João 15:13). Lembremo-nos dos nossos varões combatentes, e particularmente dos irmãos que arriscam suas vidas pela pátria e pelos que ficaram em seu lar! Oremos também pelo Fuehrer e seus colaboradores." Der Adventbote [Periódico adventista publicado na Alemanha] 1/10/1939. "Como soldados de vanguarda, deixamos nossos lares e nossos negócios e aqui estamos para defender a pátria nestes postos mais avançados." Der Adventbote [Periódico adventista publicado na Alemanha], 1 de junho de 1941. Qualquer que seja o posto em que estejamos, cumpre-nos provar, cada dia e cada hora, que somos guerreiros valentes, dignos de nossos heróicos irmãos do campo de batalha. Só um pensamento nos deve hoje dominar: Como posso ajudar a alcançar a vitória? Para este alvo devemos dirigir todas as nossas comissões e omissões, toda a nossa fala e nosso silêncio, todos os nossos desejos e exigências. Esta extensíssima guerra requer de todos os companheiros alemães os máximos e mais elevados esforços em todo um tempo de expectação, sofrimento, sacrifício e luta." Gegenwarts-Fragen [Periódico adventista publicado na Alemanha], 7 de novembro de 1941. -- A Mensagem de Deus ao Povo do Advento, Estudo 11: "Objeção de Consciência ou Combatência", págs. 39-41, publicado pela Editora Missionária A Verdade Presente.

      Excluir
    3. Walleonys você postou textos que nem sabemos onde os encontrar. Não existe nem fotos de tais textos em livros. Lembre-se que a reforma inventa textos para os apoiar. Para provar algo aqui no meu blog precisa seguir uma regra básica de mostrar imagens dos textos ou mesmo vídeos que tais textos são verdadeiros. Porque inventar história qualquer um pode fazer.

      Outro ponto que quero que esclareça é o caso da sua igreja ter apoiado Hitler na segunda guerra mundial que eu falo em meu canal do youtube. Vou colocar o endereço aqui para assistir e me diga porque a reforma esconde isso de seus membros? E condena a igreja adventista de uma coisa que ela também fez?

      https://www.youtube.com/watch?v=ExQk1flPPiI

      Excluir
    4. bom dia! não acredito que servir ao exercito fira dois dos 10 mandamentos(não mataras e não trabalharas no sabado), até porque davi comeu os pães santificados ao senhor ,oque era "proibido",mas nesse caso éra uma questão de VIDA,pois davi e seus soldados poderiam morrer de fome se não se alimentassem,a vida prevaleceu sobre o mandamento pois o mandamento é vida(fazer ao contraria seria contradizer-se). Jesus Cristo em um sabado Colheu espigas na seara o que tambem era "proibido", porém a vida novamente prevaleceu sobre o mandamento pelo mesmo motivo da historia a cima . Jesus tambem deu o exemplo da ovelho que cai em um buraco no dia de sabado , jesus pergunta :"se uma ovelha cair em buraco no dia de sabado ,você deixara ela morrer porque é sabado?" a resposta ,todos ja devem saber."o homem não foi feita para o sabado, mas o sabado para o homem". nenhum mandamento pode se sobrepor a vida, pois o mandamento é vida e falar ao contrario é tirar o principio e sentido dos mandamentos em si. Quanto ao mandamento de "não mataras" e esse ser motivo para não servir o exercito ( em campo de batalha) é uma ideia equivocada,O apostolo paulo em Romanos afirma que toda autoridade(exercito/soldados/policias e governos) são instituidas por Deus para a justiça e o bem da sociedade.antes de cristo ,durante o perido que cristo esteve na terra e depois que cristo ressucitou, sempre existiu exercitos em Israel e não existe nenhum registro de cristo criticando a existencia desse exercito. O próprio Deus isenta o civil que, em legitima defesa mata um ladrão que tenta roubar sua propriedade EX 22.2 ,imagine então um exercito que tente invadir seu país? não acredito que negar ajuda a patria ou a nação seja algo cristão, até porque se hoje a civilição ocidental, que tem como base os valores Judaicos/cristãos, liberdade religiosa ,liberdade de expressão e direitos humanos existe, é porque a seculos passados alguns cristão venceram as guerras nas cruzadas(com exercitos ou milicias) contra a maioria mulçuma que tentavam destruir a fé crista que crescia na europa. ou seja, é meio hipocrita dizer ser anti cristão pegar em armas para lutar pelo seu país, quando o motivo de estarmos aqui hoje é exatamente porque cristãos lutaram por nós anos atras.quanto ao jovem que voces citaram a cima, como um verdadeiro cristão por ter jogado sua arma fora e pego uma de madeira,não acredito que seja um ato louvavel para um crente nas palavras de cristo "um verdadeiro amigo é aquele que da a vida pelo outro" disse jesus, se omitir enquanto um irmão morre por você ao seu lado não tem nada de cristão.com minhas palavras digo que não existe os mandamentos ?? de forma alguma, apenas digo que a Vida e consequentemente a segurançã de uma nação esta acima dos mandamentos. os mandamentos foram feitos para o homem e não o homem para os mandamentos.bom dia!

      Excluir
    5. NOTA DEZ PRA VOCE IRMAO GOSTEI

      Excluir
  2. Silvana, para ler os textos já citados vc os deve procurar. Não irá encontrar nenhum se não os procurar para ler. Veja que todos estão com suas devidas citações.
    Vc pode encontra-los facilmente em uma breve pesquisa junto a Casa Publicadora do Brasil, ou mesmo no Centro de Pesquisa Ellen White.
    É favor entrar em contato para obter as devidas confirmações.
    ..sobre fotos dos escritos, acredito que te bastará ler, pois entrando em contato com os meios já mencionados vc os obterá, claro, se realmente quer ver.
    ..sobre apoio a Hitler, sua afirmação não tem cunho nem histórico nem por meio de documentos de direitos públicos. Mas quanto a adventista nominal há todos esses documentos, acessíveis para qualquer cidadão ver. A própria Igreja Adventista não diz ao contrario oficialmente.
    ..
    Ao amigo Diego digo, amigo, vede o que diz os Testemunhos sobre ser pecado matar e ir à guerras no presente tempo final. Encontrarás todas as respostas que deseja. Porém veja o assunto da perspectiva dos Testemunhos, pode obter esses livros facilmente.
    ..
    Concluo minhas palavras pedindo para que vejam bem que o fim chegou, veja o mundo tomando decisão cada vez mais perto daquilo que a Bíblia se refere como governo da besta. Lembre-se do que diz os Testemunhos sobre o Ecumenismo também, e procurem junto às Igrejas à que pertencem se elas estão fora do Ecumenismo, procurem por CMI, sugiro que vc procure também, amiga Silvana. Pode procurar junto ao Ministério Adventista, pois essa informação é por direito Pública e qualquer pessoa no mundo pode obter, bastando pra isso enviar uma carta pedindo a mesma,ou verificando junto à CMI. Os Testemunhos condenam o Ecumenismo.
    Não fim, apenas os fiéis à Lei e ao Testemunho permanecerão firmes, estes serão protegidos das pragas que cairão sobre os ímpios, os fiéis serão salvos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continua acusando sem provas. Não existem nada na igreja adventista que prove o que diz. Os pastores da reforma te enganaram, tanto que não sabe nem o nome de livros e etc.

      Quanto ao ecumenismo é mentira que a igreja adventista está envolvida. E se você entrar no site do CMI vai encontrar na página inicial que a igreja adventista não está unida com ecumenismo nenhum.

      Excluir
    2. Verdade Silvana, eles inventam histórias como a IASD estar envolvida no ecumenismo, não passar de uma mentira!

      Excluir
    3. Verdade, Silvana. Eles inventam histórias, como a IASD envolvida no ecumenismo, não passar de uma mentira!

      Excluir
  3. NA VERDADE OS IRMAOS ESTAO TOTALMENTE ERRADO.GUANDO A PALAVRA DIZ NAO MATARA È SEM MOTIVO. EM CASO DE QUERRA E LEGITIMA DEFESA PODE MATAR SIM PORQUE O SEU PROXIMO È QUEM ESTAR NO SEU CONVIVIO E NAO O SEU ADVERSARIO.DAVI CONHECIA OS DEZ MANDAMENTO E PEGAVA EM ARMAS E MATAVA ,MOSEIS O GUAL RECEBEU OS DEZ MANDAMENTO NUN DIA MATOU MAS DE 3.000 E SE OS ANJOS NAO LUTA SE POR SUAS VIDAS? O NOVO TESTAMENTO ENCINA NOS SERMOS SUBMISSO AS ALTORIDADES.VOCES SAO IGUAS AS TESTEMUNHAS DE JEOVA COVARDES DESTORCE AS ESCRITURAS QUER DIZER QUE O INIMIGOS INVADIR O BRASIL VOCES VAM COÇAR O SACO ENGUANTO EU LUTO PRA SALVAR AS VOSSAS FAMILHAS. DOTRINA DE ELLEN WILTHER PORIÇO Q A BIBLIA PROIBE QUE AS MULHERES ENCINE NAS IGREJAS.

    ResponderExcluir

Ao fazer seu comentário lembre-se de falar sobre o tema da postagem e não coloque endereços de outros sites e blogs. Não publico comentários que não estejam de acordo com as regras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...